segunda-feira, 31 de maio de 2010

]Grandma have I ever told you]












That I really admire your work?

Querida avó já alguma vez te disse que admiro imenso o teu trabalho?

Às vezes pergunto-me se nos dias que correm a vida tenderá a ser efectivamente melhor... O meu avô dizia-me hoje que cuida da sua terra à 40 anos e eu vi nos seus olhos a tristeza que sente ao pensar no que será quando ele não já não puder cuidar. Considero o meu avô um empreendedor. Não que tenha feito uma invenção mirabolante que tenha melhorado o modo de vida de milhões de pessoas, como eu se calhar até ambicionava fazer, mas pela abertura que lhe reconheço à mudança, pela grande generosidade e pelo enorme sentido de convívio. Além disso, para mim a vida em comum dos meus avós é um modelo do que é a felicidade a dois, e que dá um certo sentido ao modelo social que herdamos assente na família. Não me recordo de o ter observado em mais nenhum casal.

domingo, 30 de maio de 2010

[Matosinhos, anémona]



@Parte da cidade, Porto/Matosinhos.

]Amigos, Hoje, Diu, Jantar]



]Amigos, hoje, Diu, Jantar.]
[Magnus, conversar.[
[Rua, fotografar.[
[Meia noite, luar.[

]Na mesa:
Educação, Farmácia Vigo,
Acelarómetro, percepção luz e som,
JPG, MP3[

[Peer-to-peer]

quarta-feira, 26 de maio de 2010

segunda-feira, 17 de maio de 2010

]A minha terra é[ [tão bela como outra qualquer]

]A minha Terra]








Hoje terei descoberto entre outras coisas que a minha terra é igual a outra terra qualquer.
E que as gentes da minha terra são como as gentes de outro sítio qualquer.

Existe uma pequena diferença contudo. Quando caminhava a pé na estrada que percorri inúmeras vezes até aos catorze anos com os meus pais, o meu irmão e a minha irmã no Fiat Uno desde Argabiça - Gatão em direcção ao Colégio de S. Gonçalo fui reconhecido por um indivíduo que fez questão de parar e sair do carro. Quando chama por Ricardo não hesitei em dirigir-me a ele. Confesso que não o reconheci. Quando me disse o nome terei ido buscar aos meus arquivos profundos alguma informação, Carlos, o pardal. Tinha um brinco em cada orelha, um sorriso rasgado, a pele já algo queimada pela vida. Teremos sido colegas de catequese. És fotógrafo, perguntou? Ele trabalhava na construção. "Estive a trabalhar nas Canárias, mas vim-me embora de Tenerife antes que o dinheiro não chegasse para a viagem e tivesse de vir a nado. Estive na França com família. Lembras-te quando nevou o ano passado em Amarante? Estava a trabalhar cá fora, olhei para cima e a neve caía. Agora é melhor, trabalho com gesso e estuque não apanho chuva nem sol."
És fotógrafo, voltou a perguntar. Vai ao alto do Ladário, lá tens boa paisagem para tirar as fotografias. Isto aqui não é bonito, disse.


Não é exactamente igual parar o carro para tirar uma fotografia na minha terra, ou no Gerês, em Montesinho, no Alentejo ou à beira mar num sítio qualquer. A diferença entre a minha terra e outra terra qualquer é que na minha terra as pessoas ainda me conhecem. Não sei como é que ele me conheceu passado estes anos.

Caminhar na minha terra, no Gerês, no Alentejo, no Douro é a mesma coisa. A luz gloriosa que banha o país que conheço nesta temperatura amena ao fim da tarde não é muito diferente. O seu valor é, para mim, inestimável.

[Feliz aniversário querida amiga, muitas felicidades, muitos anos de vida.]




Nem comigo próprio sou generoso, repare-se na maneira inteligente como cortei a minha própria cabeça... :-) Mesmo assim gosto desta foto e gosto muito de vocês.

Mais em http://omelhorflash.blogspot.com/2010/05/feliz-aniversario-querida-amiga-muitas.html

terça-feira, 11 de maio de 2010

domingo, 9 de maio de 2010

[Get off, this place is mine]


This picture somehow reminds limp bizkit significant other themes.

sábado, 8 de maio de 2010

[Inverno-Primavera|Verão @ Maio, 8]



[Ou a memória atraiçoa quem cresceu e viveu noutros tempos, ou há um dedo mágico lá em cima a virar estações como quem vira dias.]

[Is the Summer really coming by when
I see dead leaves in the road,
And I feet like the cold spring
Whisper the past Autumn at my skin
Was this meant to be
Or is it
A rainy cold day inviting
a blowing outstanding Summer]

[Caminhante, não há caminho, somente sulcos no mar.]



"Caminante, son tus huellas
el camino y nada más;
Caminante, no hay camino,
se hace camino al andar.
Al andar se hace el camino,
y al volver la vista atrás
se ve la senda que nunca
se ha de volver a pisar.
Caminante no hay camino
sino estelas en la mar."

“Caminhante, são teus rastos
o caminho, e nada mais;
caminhante, não há caminho,
faz-se caminho ao andar.
Ao andar faz-se o caminho,
e ao olhar-se para trás
vê-se a senda que jamais
se há-de voltar a pisar.
Caminhante, não há caminho,
somente sulcos no mar.”


Antonio Machado Ruiz (Sevilla, 1875 - Collioure, 1939)

[Cidade fronteiriça de Elvas]

[Stunning Alentejo prairie view] [Planície Alentejana]

[Rua Direita @ Campo Maior]

segunda-feira, 3 de maio de 2010

[Então Ana Isabel, como é que é deixar o sol do teu país?]








[Beijinhos do irmão mais velho de Portugal para as terras frias. :-)]

domingo, 2 de maio de 2010

[Would anyone believe]


That this tiny little creature fall down above my head when I was looking downward to the road at my parents balcony? Probably my hair seemed like a good nestle for her. When I felt something in my head and a closer bird whispering I called my father without moving. He came and pick up the little bird. I said him to not arrest the bird. He let the bird in a flower pot for a few moments after the attempt to feed her. A few moments after she wasn't at the pot anymore. It seems like she decided to make herself free as I observed her in the nearby electricity cables. I ran, grabbed the camera, switched the lenses, and there is the moment. May you fly in freedom little bird.

Exposição no Flickr - Flickr exhibition

MÚSICA DE ACOMPANHAMENTO DA EXPOSIÇÃO FLICKR

MUSIC BELOW